0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Para quem ama conhecer as belezas do Nordeste Brasileiro, compartilho aqui o meu roteiro de 11 dias por Pernambuco e Alagoas com paradas nas famosas praias do litoral. Será dividido em duas partes, já que irei fornecer as informações detalhadas com todos os custos. 🙂

Uma época excelente para viajar é em Setembro, pois ainda não é alta estação e o sol bate ponto todos os dias. Fiz essa viagem em 2016 acompanhada de minha mãe que topa tudo!

Roteiro de 11 dias por Pernambuco e Alagoas

Pernambuco

1º dia: Chegada em Recife

Iniciamos nossa viagem em Recife. Foram 02:30 min de vôo mais ou menos e chegamos na cidade as 0:45. Pegamos um taxi até a praia de boa viagem por R$ 30,00, fizemos check in no Hotel Ibis Boa Viagem com diária R$ 105,00 e fomos dormir.

2° dia: Recife

Acordamos por volta das 08:00, tomamos café da manhã no hotel (R$19,00 por pessoa) e fomos dar uma caminhada pela orla de boa viagem.
Pedimos uber até Recife Antigo (R$ 26 reais). Caminhamos pelas ruas e confesso que não vi nada demais. Tem opção de passeio de catamarã (R$ 25,00) que provavelmente deve ser mais interessante, mas optamos por não fazer.

Conheci o Museu do Frevo (R$4,00 com cartão Itaú), que infelizmente não estavam acontecendo ensaio dos dançarinos da casa naquele momento, então foi uma visita bem curta, mas o local conta toda história da dança com alguns vídeos dos diferentes tipos de frevo.
De lá seguimos para o Museu do Sertão que também me deu 50% de desconto, existe uma parceria entre o museu do frevo e do sertão, o ingresso saiu por R$ 5,00. Espaço muito legal que conta história de lampião e seus cangaceiros com os trajes típicos e originais, depoimento de pessoas ilustres nascidas em Pernambuco.

Parada para almoço no cais que foi reformando e virou uma alameda de restaurantes (paço da alfândega). Ficam em frente ao marco zero e mercado de artesanato. São diversas opções e tem comida para todos os gostos. Almoço executivo R$ 22,00 por pessoa. Retornamos ao hotel por volta das 15:30, o uber deu R$ 20 reais e aproveitamos para descansar um pouco, pois o calor estava muito forte no local.

Marco Zero em Recife Antigo

À noite fomos à feirinha localizada na praia de boa viagem. Foi uma caminhada gostosa curtindo a brisa da noite no calçadão. Os preços na feirinha são ótimos e existem pessoas oferecendo passeios o tempo todo com excelentes preços para Porto de Galinhas, Maragogi etc. Lanchamos por ali mesmo em um barzinho, porção de pastel de camarão R$ 26,90.

3º dia: Olinda

Acordamos por volta das 08:30 e tomamos café da manhã no quarto. Como havia um mercado próximo, compramos algumas coisas básicas para não gastar com café da manhã. Chamamos Uber para nos levar à Olinda. Descobrimos que em Recife a situação da Uber é tão séria, que é considerado um serviço totalmente clandestino, então quando estiver lá, chame bem longe dos taxistas e guarda municipal, pois os mesmos possuem autoridade para apreender o veiculo.

Ficamos bem na praça próximo ao centro de informação turística, por ali, há vários “guias” que te levam para fazer o trajeto a pé contanto um pouco da história local. Dispensamos esse serviço e pegamos um mapa no centro de informações.

É impressionante a quantidade de igrejas que existem em Olinda, sério! Diria até que o mapa é dispensável no passeio, já que as ruas possuem sinalização o tempo todo para como chegar à determinada igreja ou ponto turístico, fica muito fácil andar pelas ruelas.

Iniciamos o passeio na igreja São Benedito, que infelizmente neste dia estava fechada, porém o visual era deslumbrante. Iniciamos o percurso para o alto da sé, parando no Mosteiro de São Bento (contribuição de R$ 2 reais por pessoa), o local também possui um visual bem bacana. Subimos ladeira, descemos ladeira e o sol continuava castigando, nem preciso dizer que nestes dois dias adquiri uma marca muito bonita da camisa sem manga L, ou seja, protetor solar NUNCA é demais no nordeste.

Nossa caminhada até o alto da sé levou aproximadamente 01/01:30 com algumas paradas para visitar algumas igrejas no caminho, beber uma água e tentar amenizar o calor na sombra.

Não é difícil saber quando você chega ao final do percurso, ao avistar as casas de artesanato, já dá para perceber que ali é o caminho. Próximo à igreja existe uma feirinha de artesanato com itens com preço justo e também é possível negociar aquele desconto com o vendedor.

Ali mesmo existe um ponto turístico chamado caixa d’agua, que valeu a pena os R$ 7,00 reais para subir de elevador, mas caso tenha fôlego e não sofre com o calor, há a possibilidade de subir pelas escadas também.

A partir dali, iniciamos a descida e retornamos para o ponto inicial de nosso passeio. Pedimos um Uber e fomos conhecer o Shopping RioMar Recife. O lugar é gigantesco e tem diversas opções de restaurantes. Optamos por um com custo de R$ 21,00 (Suco de graviola, franco à parmegiana com fritas e arroz com brócolis). Tomamos aquele sorvete padrão de sobremesa e sacamos dinheiro para o resto da viagem, já que em Porto de Galinhas e Maragogi, os passeios são pagos em dinheiro.

No final da tarde voltamos completamente exaustas para o hotel e desmaiamos. Lanchamos por lá mesmo e no final da noite, passei tão mal, mas tão mal e teria uma viagem de van para porto de galinhas no dia seguinte.

4º dia: Porto de Galinhas e passeio pelas praias de buggy

Não consegui tomar café da manhã pois na noite anterior passei muito mal, mas mesmo assim mantive o cronograma da viagem, afinal, são só 50/60 minutos de Recife para Porto de galinhas.

Nossa van nos buscou as 8:30 am na porta do hotel, o custo por pessoa foi R$ 25,00, pois fizemos como se fosse um passeio, portanto não era um serviço privativo. Lembra quando disse que a viagem era rápida? Parece uma eternidade quando você não está nos seus melhores dias, mas sobrevivi a este pesadelo e chegamos à pousada por volta das 10:00 am.

Escolhemos a Pousada Lua Azul que fica perto do centro, porém não muito perto do aglomerado do centro; aproximadamente 3 quadras, 10 minutos de caminhada tranquila. Diária R$ 140,00 com café da manhã incluído. O check in é somente as 15:00, porém nossa recepcionista percebeu o estado de sua futura hóspede e tratou de apressar a liberação do quarto.

Enquanto isso, fechamos 02 passeios: 01 no próprio dia de nossa chegada (não queria perder um segundo dessa viagem, independente de não estar nas melhores condições), passeio de buggy pelas principais praias das redondezas, o valor é pelo carro e não pessoas (R$250,00), o buggy acomoda até 04 pessoas, porém preferimos um “privativo”.

Também fechamos para o dia seguinte o passeio à famosa Praia de Carneiros com a empresa Cavalo Marinho por R$ 60,00, já com catamarã própria incluída, se fosse fechar com qualquer outra seria R$ 55,00 reais e pagaríamos à parte a catamarã sujeita a lotação máxima para saída.

Fomos conhecer o centro e procurar uma farmácia para tentar me salvar neste dia e conseguimos!!! Compramos bastante água (R$ 2,50 a pet de 1 litro e meio). Voltamos para o hotel para aguardar o horário de almoço. Tomei os remédios e descansei um pouco, quando acordei, já estava me sentindo muito melhor.

Almoçamos no restaurante Imperador que fica poucos metros antes de chegar ao centro. Pedimos peixe frito com arroz branco e purê de macaxeira (R$ 70,00). Porção muito generosa e que vale total o custo benefício. Atendimento excelente e adivinhe? Estava curada! Juro! Pronta para o passeio de logo mais.

Pontualmente nosso buggeiro Edson (tel 81 986098043) chegou as 13:00 e nos levou para conhecer primeiramente a praia dos surfistas, Maracaípe, onde também acontecem Lual nos finais de semana e tem a reserva para conhecer cavalos marinhos (custa R$ 10 por pessoa), pulamos isso também, pois já tive essa experiência em Jericoacoara e achei a maior furada.

O local não é bacana para quem busca mergulho, então tiramos algumas fotos e seguimos para a Praia do Cupê, achei o acesso um pouco complicado para quem não conhece o local e prefere fazer passeios por conta própria. Combinamos a parada por aproximadamente 40 minutos.

Enfim pudemos aproveitar o mar de Pernambuco e como a maré estava baixa, o mar virou uma enorme piscina natural, nos instalamos nas mesinhas à beira mar, os restaurantes não cobram consumação mínima para ficar ali, mas aproveitamos o clima quente e tomamos água de coco (R$ 3,00). No horário combinado, retornamos ao buggy e seguimos viagem.

Uma das melhores coisas de optar por fazer passeios com locais é que você tem a oportunidade de conhecer de verdade o lugar que está visitando e nosso guia/buggeiro conhecia tudo por onde passávamos e isso tornou o passeio ainda mais agradável e enriquecedor.

A Praia de Muro Alto é um capitulo a parte na minha opinião, não digo isso pelo fato de ser o local escolhido pelos principais resorts do local e celebridades que visitam a região, mas sua praia é de tirar o fôlego.  Por toda extensão da praia existe uma barreira de arrecifes, o que a transforma em uma piscina natural, no local é possível encontrar aluguel de jangadas, stand up paddle, passeio de buggy pela praia, os preços variam entre 20/60 reais por 30 minutos mais ou menos.

Preferi apenas curtir a beleza e aproveitar o mar de águas mornas sentada à beira mar dos restaurantes. Por se tratar de um local bastante turístico, os valores praticados são um pouco mais elevados e apesar disso não há muitas opções, por sorte almoçamos antes do passeio, então não saímos no prejuízo.

40 minutos é pouco tempo para aproveitar essa praia, definitivamente é um dos locais que pretendo voltar e passar um dia completo sem horários ou compromissos. No total, o passeio de buggy dura aproximadamente 04 horas e o pagamento é feito só no final.

De volta à pousada as 17:00 horas para um rápido descanso e as 19:00 já estávamos novamente no centro da cidade, aproveitamos para olhar as lojinhas de lembrancinhas e pesquisar preços de bolo de rolo. Optamos por jantar em um restaurante self service com Buffet fixo por R$ 22 reais por pessoa e ainda ganhava uma porção de camarão alho e óleo. Voltamos cedo, pois o dia seguinte seria ainda mais cansativo com passeio dia inteiro.

5º dia: Porto de Galinhas e Praia dos Carneiros

O passeio estava marcado as 08:30 am, então uma hora antes estávamos prontas para o café da manhã, simples porém atinge as expectativas. Suco de laranja, tapioca e ovos mexidos são feitos na hora mediante a solicitação.

O trajeto inicial até a catamarã foi feito em um micro-ônibus, total do nosso grupo foi de 08 pessoas apenas e levamos aproximadamente 30/40 minutos para chegar ao píer de Guadalupe. Nossa primeira parada foi nos manguezais do rio formoso. Águas frias e profundidade de 10 metros. Foi uma parada bem rápida de 15 minutos apenas.

Seguimos nosso passeio por mais 20 minutos na praia de Guadalupe para mergulho, por lá o mar já não era tão frio e já não tinha muita profundidade. De lá, é feita uma parada rápida para um banho de argila, não tem custo, mas eu sinceramente declinei por não acreditar muito na procedência “natural” do produto, mas fique esperto, porque você desce do barco e brotam da água um monte de gente com bacias querendo passar argila. Ah, e eles também vendem, é uma parada obrigatória dos barcos para dar uma ajuda ao pessoal da região.  Lá já era bem raso e a água uma delicia.

Chegamos a capela de São Benedito, mas infelizmente neste dia estava fechado, então aproveitamos para tirar umas fotos e dar um mergulho por perto também. Rapidamente contornamos e chegamos enfim ao destino final que é a Praia de Carneiros. Lá há apenas um restaurante (as demais são barracas), o Bora Bora que toma quase toda praia. Lá eles possuem mesas com cadeiras, bancos, redes, chuveiros, lockers e banheiro… Enfim, e ainda servem comida!

Como queríamos aproveitar a praia, fechamos por 03 horas para aproveitar antes de a catamarã sair, então resolvemos apenas petiscar algumas coisas, uma dica é NÃO peça água de coco pois não é gelada. Imagina o calor e você pede a água de coco e ela vem em temperatura natural!!!!! Petiscamos uma casquinha de siri R$ 9,90 cada e uma porção de filé aperitivo R$ 29,90 aprx.

Como eu disse, o local possui de tudo um pouco e há quem deixe suas coisas (celular, carteira e outros bens) na mesa e vai para o mar, como sou carioca desconfiada preferi comer e depois fui para um dos quiosques do lado direito da praia longe do embarque e desembarque. Conseguimos uma mesa de cara para o mar e aí sim aproveitamos aquele mar cristalino, sem ondas… Era possível até ver peixinhos.

Arrisquei-me em andar pelos arrecifes, mas desisti de ver a piscina natural. Era tanta gente, mas tanta gente que eu duvido haver vida marinha por ali. Infelizmente tudo que é bom chega ao fim e as 15:00 voltamos para catamarã e quando pensei que já era o fim, paramos por mais 15 minutos nos bancos de areia no meio do mar!!! Que lugar maravilhoso, gente.

Bom, voltamos para o hotel as 17:00, descansamos e voltamos para o centro por volta das 20:00. Desta vez fomos ao restaurante Portogallo e pedimos o petisco do mar, que consiste em mini porções de vários itens de frutos do mar (casquinha de caranguejo, caldo de camarão, caldo de peixe, isca de peixe, bolinho de bacalhau, camarão alho e óleo e camarão à milanesa), tudo isso por R$ 39,90.

6º dia: Porto de Galinhas

Neste dia optamos por não fazer nada e aproveitar a praia de porto mesmo, a tabua da maré por lá não estava colaborando muito para irmos as piscinas naturais, jamais cogitaria levantar as 5am para ver peixe! Por isso, quando planejar sua viagem, consulte sempre a tabua da maré para fazer seus passeios, lá é assim… O turismo vive de acordo com a maré, não fiquei tão chateada pois minha viagem continuaria em Alagoas e tentaria as piscinas de Maragogi.

Já que íamos ficar pela cidade, aproveitamos para dormir um pouco mais e tomar o café da manhã com mais calma. Saímos para a praia as 10:00, me senti no Rio de Janeiro da quantidade de gente que tinha lá, não sei também que o esperaria de um domingo, né?!

Enfim, conseguimos uma mesa e o atendente nos disse que não havia cobrança da mesa desde que houvesse consumação!! Achei a praia de lá mais agitada e água um pouquinho mais fria que dos outros lugares que visitamos, mas estava ótima também, acho que fiquei tão acostumada a não ter ondas que aquele mínimo já era bem diferente para mim.

É impressionante a quantidade de camelô que tem por lá, as barracas ficam literalmente postadas na sua frente, no meio do caminho, não sei como a praia acomoda toda essa gente, não tem nem a metade de extensão de areia das praias de Copacabana, por exemplo.

Às 13:30 resolvemos que era hora de almoçar e como eu mencionei acima, o atendente nos disse que era necessário apenas consumir, mas quando pedimos a conta, ele alegou que havia nos dito que era consumação de petisco não somente bebidas. Fiquei bastante chateada e minha mãe também, mas jamais permitiria que uma pessoa estragasse meu dia e pagamos R$ 20 reais pela mesa e cadeira, mas fica a dica.

Optamos por almoçar no restaurante Portogallo que havíamos ido no dia anterior e gostamos muito do custo x beneficio do lugar. Pedimos o combo beach que vinha em uma tábua de pedra com: Lagosta, camarão alho e óleo, posta de peixe, batata sauté e uma porção de arroz branco e também vinha com uma jarra de suco de abacaxi, tudo isso por R$ 90,00. Esse prato serve facilmente três pessoas! Pedimos também a sobremesa local chamada de cartola, essa tentação é a junção de queijo + banana frita com açúcar e canela e sorvete de creme R$ 19,90. Depois desta orgia gastronômica voltamos para a pousada para descansar um pouco.

Já eram quase 19:00 quando acordamos e nos arrumamos para jantar e comprar lembrancinhas. Levamos bolo de rolo (R$ 13,00) e mini bolo de rolo (R$25,00 com 25 mini bolinhos). Compramos outros itens que variavam entre R$ 10,00/R$ 20,00. Vestido de praia entre R$ 30,00/R$50,00, biquínis R$50,00/R$70,00. Enfim, achei os preços lá muito melhores que aqui do rio.

Comemos uma pizza que estava na promoção R$ 25,00 portuguesa feita no forno à lenha e assim, infelizmente chegava ao fim nossa viagem por Recife, mas o que me consolava era saber que ainda tinha mais dias pela frente em Alagoas.

Espero que tenham gostado e em breve voltarei com o restante da viagem e do roteiro de 11 dias por Pernambuco e Alagoas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

2 Comments

  1. Oi Thais e Camila! Vocês visitaram o Destinos & Afins e eu vim aqui, achei esse post e compartilhei com uma amiga que está indo para a região em fevereiro!!

    Bjs!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *