71 Flares Twitter 0 Facebook 71 Pin It Share 0 Filament.io 71 Flares ×

*Nossa historia de Buenos Aires será dividida em 02 partes, foram muitas emoções para um post só… rs

Partimos de Montevidéu com destino à Buenos Aires pela empresa Colônia Express. Pegamos um ônibus no terminal rodoviário de Montevidéu (aquele que você já sai dentro de um shopping) em direção à cidade de Colônia ainda no Uruguai (vale a pena ficar pelo menos um dia nessa cidade), e esse trajeto leva duas horas e chegando lá fomos direto para o terminal portuário de Colônia onde pegamos um barco até Buenos Aires – essa parte da viagem leva em torno de quatro horas.

Apresentação1

Existem duas grandes empresas que trabalham com esse trajeto Montevidéu/Buenos Aires: a Colônia Express e a Buquebus (essa empresa é bem grande e sua passagem é um pouco mais cara, mas você tem a opção de pegar um barco mais moderno que faz o trajeto marítimo em torno de duas horas).

O preço da nossa passagem pela Colônia Express foi de 1.040 pesos uruguaios ou 122 reais e a passagem pela Buquebus gira em torno de 1.200 pesos (140 reais) na classe econômica. A Buquebus trabalha como uma empresa aérea, os seus barcos são divididos por classe, enquanto na Colônia Express vai todo mundo junto mesmo de classe econômica.

6Chegando a Buenos Aires podemos dizer que passamos pelo nosso primeiro perrengue da viagem (foram muitos, mas hoje rimos de todos e agradecemos por passarmos por cada um). Como todo mochileiro sabe, andar de táxi durante a viagem é questão de luxo (tudo bem que os táxis em Buenos Aires são extremamente baratos, mas só descobrimos isso depois de uns dias), então tínhamos a missão de sair do Porto e chegar ao hotel onde pretendíamos ficar por três dias (depois disso partimos para a casa do Francisco, vulgo Argentino, um amigo da Thaise que já morou um tempo no Brasil e nos abrigou).

Como dito, não tínhamos rumo na viagem muito menos reserva em algum hotel/hostel, ou seja, deu ruim. Chegamos a BsAs em um final de semana de jogo no estádio La Bombonera, todos os hotéis e hostels estavam sem vagas e nós estávamos com uma mochila de 17kg nas costas e sem ter onde dormir. Depois de cinco horas andando pelas ruas, já havia anoitecido e ainda não tínhamos onde ficar. Seguimos perguntando em todos os hotéis/hostels possíveis,até que achamos um pequeno hostel em cima de uma padaria onde conseguimos uma vaga em um quarto compartilhado com 10 pessoas e banheiro compartilhado por 122 pesos argentinos, o que deu 30 reais por noite/pessoa. Não foi uma noite muito agradável, mas estávamos tão cansados que simplesmente apagamos.

10

No dia seguinte de manhã cedo, fizemos o nosso check-out e saímos à procura de um novo hostel para ficarmos. Com o auxílio dos aplicativos do Booking e do Trip Advisor, selecionamos alguns possíveis hostels que já tinham vaga e fomos batendo de porta em porta. De novo, não foi uma missão muito fácil, fomos nos guiando com base nas fotos dos hostels e aqui vai uma dica, o termo: “Imagem meramente ilustrativa” também e válido para fotos de hostels…

Depois de muito andar, perguntar e sermos enganados pelos hermanos (acredite toda vez que pedíamos alguma informação na rua e falávamos que éramos brasileiros, sempre nos passavam informações erradas. Não entendíamos ao certo o porquê de depois de passar alguma informação, todos davam um risinho irônico até percebermos que éramos “trolados” a todo o tempo, mas vida que segue) conseguimos uma vaga no Hostel Suítes, um hostel localizado no coração de BsAs bem na rua Florida e que no passado parecia ser um hotel pois em todos os quartos há banheiro privativo com banheira! O preço por noite/pessoa foi de 160 pesos argentinos ou 40 reais, sem duvida um excelente hostel.

8

Depois dessa luta para arrumarmos um local para ficar ate o Argentino chegar, começamos a viver o nosso segundo perrengue, o câmbio. A economia da Argentina está tão louca quanto à economia do nosso querido Brasil e com isso a cada dia que passa a taxa de câmbio muda drasticamente (em nosso primeiro dia na Argentina a taxa era de R$1.00/ARS4.10, no dia seguinte já era de R$1.00/ARS3.50 e depois voltava para a casa dos ARS 4.00). Foi uma loucura. E, além disso, as casas de câmbio não abrem no final de semana, e qual a nossa opção para não passar fome e pagar o hostel?! O câmbio “ilegal” da rua Florida

7 11

Continua…


Infos:

  • Hostel Suites Florida
    Florida 328, Buenos Aires
  • As conversões foram feitas com base na taxa de cambio: R$ 1.00 = UYU 8.50  e  R$ 1.00 = ARS 4.00 / Marco 2015

Classificação:

Viagem: Família | Casal | Amigos | Sozinho
Custo: Mochileiro | Intermediário | Luxo
Duração: 24h | Fds | Semaninha | Mês inteiro | Intensivo de viagem

Veja também os outros destinos desse mochilão

71 Flares Twitter 0 Facebook 71 Pin It Share 0 Filament.io 71 Flares ×

One Comment

  1. Pingback: Roteiro de viagem: Mochilão América do Sul

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *