23 Flares Twitter 0 Facebook 23 Pin It Share 0 Filament.io 23 Flares ×

O Castelo de Chambord possui a arquitetura que fez ele o castelo dos exageros:
156 m de comprimento
56 m de altura
77 escadas
282 chaminés
426 divisõesChambord (8)

Francisco I viveu ali apenas 72 dias em 32 anos de reinado, não chegando a ver a sua obra acabada.

Com sua morte em 1547, seu filho Henrique II e posteriormente Luís XIV, também apaixonados pela caça, dariam ao castelo o aspecto de atualmente.

Chambord (2)Um dos pontos altos da arquitetura de Chambord é a espetacular escadaria aberta em dupla hélice que é a peça central do palácio e que serve os três pisos do castelo sem nunca se encontrarem, iluminadas de cima por uma espécie de farol no ponto mais alto do edifício.

Em casa piso ao redor das escadaria abrem-se quatro vestíbulos formando uma cruz. Estas salas dividem-se em quatro blocos de habitação idênticos entre si. Esse plano super inovador e a engenhosa escadaria central sugerem que Leonardo da Vinci, que veio para a França a pedido de Francisco I em 116, possa ter sido um dos inspiradores do projeto.

Chambord (4) Chambord (6)Esse castelo raramente esteve habitado, foi construído para curtas visitas. As enormes salas, janelas abertas e tetos altos eram impossíveis de aquecer, não era prático morar ali. Devida a essas condições, permaneceu sem mobília. Toda mobília, alimentação e utensílios era trazidos para cada viagem (!!!).

Depois da morte de Francisco I, Chambord foi abandonado por mais de oitenta anos. Finalmente em 1639, Luís XIII deu-o ao seu irmão, Duque de Orleans, que o salvou da ruína. Mais tarde, Luís XIV fez o restauro da grande fortaleza e mobiliou os apartamentos reais. Acrescentou um estábulo para 300 cavalos, tornando o castelo pavilhão de caça e local de recreio para famosos como Molière.

Chambord (3)Foi abandonado de novo em 1685. Entre 1725 e 1733, o sogro de Luís XV, viveu no castelo. Em 1745, o rei deu castelo para o Marechal da França, por seu valor em combate, que lá instalou o seu regimento militar, Ele morreu em 1750, e mais uma vez o colossal edifício de Chambord permaneceu vazio por muitos anos.

Em 1792, o governo revolucionário vende as mobílias, painéis de parede e até os assoalhos. Dizem que suas lindas portas maciças e trabalhadas foram queimadas para manter as salas aquecidas durante as vendas. O palácio vazio foi deixado ao abandono até que Napoleão Bonaparte o deu ao líder militar francês. Mais tarde foi comprado pelo Duque de Bordeaux, que tomou o título de Conde de Chambord.

Chambord (5)Durante a guerra franco-prussiana (1879-1871) o palácio foi usado como hospital.

Depois da more do Conde de Chambord em 1883, o palácio ficou com os herdeiros de sua irmã, da família Ducal de Parma, Itália. Qualquer tentativa de restauro terminou com a 1ª Guerra Mundial.

O governo francês compra o castelo em 1930, mas sua restauração só começa depois da 2ª Guerra Mundial, em 1945.

Chambord (7)

Destaques de Chambord (além da célebre escadaria)

Fachada norte

Aposentos de Francisco I e de Luís XIV

Museu da Caça e da Natureza – Chambord só existe devido a paixão de Francisco I pela caça, o 2º piso é dedicado a isso

As ricas coleções do museu: tapeçarias, tapetes, quadros, etc.

Nos terraços do castelo oferecem simultaneamente o espetáculo dos telhados, mistura de gótico flamejante e a Renascença italiana feita por artesãos francês, e um magnífico panorama sobre as propriedades de Chambord. Local ideal para tirar belas fotos do castelo.

O parque

Com um muro de 32 km de comprimento ao seu redor aberto por 6 portos, o castelo é rodeado por um parque arborizado de 52,5 km².

Constitui atualmente o maior parque florestal fechado da Europa. Reserva nacional de caça, possui uma fauna de numerosos animais em liberdade. É possível ver javalis e cervídeos no passeio pelos 800 hectares acessíveis ao público ao longo do caminho sinalizado.

Chambord (10)

A visita

O ingresso é de 11 euros e o estacionamento é pago a parte (tarifa checada em 2015 – sempre bom conferir no site o valor atual)

Há restaurantes na entrado no castelo (caros, é claro) e loja que vendem souvenires e biscoito, vinhos, geléias e etc. Também tem uma grande loja na saída do castelo.

Possui guia de visita em português e uma sala com um filme de 15 min em francês, inglês e italiano sobre a construção do castelo.

Quando visitei estava em restauração por fora, com o fosso seco, como é possível ver nas fotos, mas mesmo assim valeu a pena e recomendo muito a visita!

Não perca a lista com o top 6 melhores castelos do Vale do Loire.

Chambord (1)

 

23 Flares Twitter 0 Facebook 23 Pin It Share 0 Filament.io 23 Flares ×

One Comment

  1. Pingback: Vale do Loire: Top 6 Melhores Castelos - Coletivo de Viagem

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *